quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Montando uma LAN usando AD-HOC

Uma solução interessante para uma rede pequena onde temos apenas notebooks ou maquinas com placa WiFi são as redes AD-HOC.

É estranho ver que as pessoas, inclusive os técnicos, não sabem a respeito disso e os que sabem um pouco alegam que só é possível conectar 2 maquinas diretamente. Um engano.

Esta solução é perfeita para fazer uma LAN Party, pois sem cabos, roteador... enfim, sem qualquer infra extrutura, é possível ter uma rede local (na verdade o interessante é ter ao menos energia elétrica :-) pois senão a brincadeira dura muito pouco hehehe) pronta, onde uma das maquinas pode estar ligada a internet para distribuir internet as outras.

Implementei uma rede deste tipo e os resultados são muito melhores do que esperava. Uma latência muito abaixo do que esperava e uma velocidade boa. Foi jogado o jogo Counter Strike 1.6 nesta rede e o resultado foi excelente.

É claro que nesta primeira tentativa montei uma rede sem criptografia e aberta, mas a intenção era apenas verificar se funcionava :-)

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Como enfrentar uma fila de banco

Em primeiro lugar deve se ter em mente de que isto não é apenas um passa tempo, e sim uma guerra psicológica. Vamos ao armamento então:

-Celular de ultima geração com emuladores de tudo quanto é tipo de console e muitos jogos.

-Um iPod classic de 160gb abarrotado de músicas e as 3 temporadas de Lost ajuda.

-Uma bateria de plasma intergalático de chernobyl para este telefone, senão ele não aguenta o tranco.

-Um plano de dados ilimitado para o celular, ou se tiver sorte um sinal de WiFi.

-Um baralho espanhol ajuda se tiver parceiro pra jogar truco na fila também, mas é provável o guardinha irá reclamar.

-É interessante que o celular tenha câmera para fotografar a senha para poder provar que passou quase 2 horas na fila e que nem serviram café.

...conforme eu lembre de outras dicas eu faço um post futuro.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Convertendo fitas VHS para DVD

Como converter aquelas suas velhas fitas VHS para DVD ou apenas arquiva-las no computador é o que veremos neste tutorial.

Para converter para DVD existem duas formas de proceder, usando um gravador de DVD, que você liga diretamente ao vídeo cassete e usando uma placa de captura de vídeo em um computador.

O primeiro método é o mais simples, porém é complicada a tarefa de edição. Mas se o seu caso é apenas converter para DVD é o método mais simples e rápido.

É necessário ter um DVD Recorder, que é um gravador que você liga diretamente a TV e ao vídeo cassete. Obviamente em qualquer caso também é preciso de um vídeo cassete e cabos de áudio e vídeo para conectar o equipamento.

Vale a pena consultar o manual do gravador e do vídeo cassete para ajustar a qualidade e tempo de gravação e o modo de reprodução. Eu recomendo gravar 2 horas em cada DVD de 4.7Gb, pois mais do que isto faz com que a qualidade fique a desejar.

Para editar o material que foi gravado diretamente em DVD, é preciso copiar o DVD para um computador, ripando o disco para um arquivo que normalmente usa o codec DivX com extensão AVI, e então editando-o com o VirtualDub e autorar um novo disco de DVD com o AVI2DVD.

A tarefa de de autoração só é necessária caso queira converter o arquivo de vídeo para DVD no final do processo, caso contrario, basta apenas gravar os arquivos editados no VirtualDub em CD/DVD ou até mesmo subir uma cópia no YouTube, ou manter tudo no HD do computador.

No segundo método precisamos de um computador com um placa de captura de vídeo (algumas placas de captura também servem para se assistir TV e escutar radio FM). Utilizando o software da placa para capturar, basta proceder uma gravação em MPEG-2 e posteriormente editar, ou não, os arquivos gerados com o VirtualDub e autorar, ou não, um DVD usando o AVI2DVD.

Espero que este mini-tutorial ajude a quem quer digitalizar seu acervo de fitas VHS, e como visto a forma mais simples é utilizando um gravador de mesa, que não permite realizar um trabalho de edição e tratamento do áudio e vídeo.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

O dia em que o mundo parou

Um título um tanto quanto sensacionalista é verdade, mas o assunto Chernobyl merece.

Como explicar as milhares de pessoas que sem saber direito do desastre tiveram de abandonar seus lares as pressas. Somente a evacuação mereceria um livro.

A explosão ocorreu na madrugada do dia 26 de abril, mas a população ainda fôra chamada para a parada do dia do trabalho 5 dias depois, numa quinta-feira.

O porque de estar escrevendo sobre este assunto vem do interesse sobre a "mística" das usinas atômicas, do meu gosto por assuntos nerd e pelo site da Elena Filavota.

Escrito no celular e publicado no PC.