sábado, 23 de outubro de 2010

História da união soviética ao som de tetris



Sensacional como este vídeo junta uma melodia viciante de tetris com uma letra recheada de contradições históricas e mais algumas pitadas de sacarsmo.

Analizando atentamente podemos perceber o filme começa com a imagem da decadência do império russo, aonde o povo se rebela contra o Czar Nicolau II (dono de todas as bocas de fumo dos montes urais no início do sec. XX), e consequente revolução, aonde entra em cena o estado socialista.

Neste ponto, o protagonista, ainda em estado de felicidade, considera as dificuldades da vida (cadê a maldita peça comprida para nos salvar?) como problemas menores.

Ao longo da canção a situação vai de definindo, com o regime de paz e amor, o não comprometimento da classe trabalhadora e a convicção de matar o regime antigo.

Ao ponto que "a comida no seu prato percence ao estado" (além do próprio prato e tudo mais), com a referência ao partido comunista e criadores do exército vermelho, os bolcheviques, e sutil, porém marcante, referencia aos campos de prisioneiros na sibéria.

Outra referência, de certa forma cômica, se da pela falta de comunicação e padronização itens industriais, no auge da 2ª guerra, aonde o protagonista culpa os trabalhadores do Cazaquistão por não saberem fabricar blocos de tetris e por atrazar a sua entrega.

Após eliminar ganhar a guerra, a megalomania toma conta e a palavra de ordem é conquistar apenas o mundo, claro, que as custas do trabalho do pobre "jogador" que cada vez encaixa mais e mais peças no tabuleiro da vida.

Bombas atômicas, guerra fria, corrida espacial, bases secretas... mas sua mulher esta chorando pois estão constrindo uma muralha de blocos que a separa dele a ao mesmo tempo de desfaz, tornando o trabalho que é incessante, inútil.

Eis que no ponto de virada, Gorbachev é o alvo... Pobresa, filas para comprar pão, Chernobyl... Tudo parece ser tão igual a mesma revolução que ele ajudou a criar.

Capitalismo, mercado aberto, valendo tudo pelo dinheiro e a paz e o amor que se danem, pois o óleo do Artico e o solo da Geórgia são mais importantes.

Ou seja, a história se repete e não é só lá, aqui na república das bananas também derrubamos uma ditadura e estamos inconciêntemente implantando outra... e viva la (re)evolución!

sábado, 9 de outubro de 2010

#BlogandoVerde - Tablets e Smartphones



Dando continuidade a "verdelização" desta semana, sugiro uma alternativa mais agressiva para poupar alguns wats da conta de luz :-D

Um smartphone/tablet e internet. Simples assim, um aparelho destes consegue fazer quase tudo, acessar internet, ler documentos, planilhas, editar estes documentos e planilhas, registrar, editar e publicar fotos, o mesmo com audio e até mesmo fazer isto com vídeo!


Outra vantagem é que o sistema destes aparelhos é muito mais amigável e não exige a manutenção/antivirus que se fosse um notebook com windows exigiria, o que reflete em uma curva de aprendizado menor.

E se isto não bastasse, estes aparelhos conseguem se conectar a computadores maiores e permitem, por exemplo, acessar um servidor de thinclient e acessar um sistema específico da empresa.

Da próxima vez em que estiver na eminência de comprar um computador, pense com carinho numa destas alternativas, pois o meio ambiente agradece.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

#BlogandoVerde - Nettops



Se você mantem o seu computador ligado durante a noite fazendo downloads ou quer montar um media center ou apenas quer uma maquina para trabalhos leves como internet e ferramentas de escritório, uma alternativa de baixo custo e verde é utilizar um nettop para esta função.


Nettops são computadores de mesa de baixo consumo que são capazes de realizar tarefas do dia a dia de forma verde, que ao contrario de maquinas normais que são subutilizadas, são criados com foco na realização de tarefas leves.

Além do uso para internet e escritório, uma utilidade interessante para esta classe de maquinas é a de servidor de arquivos e media center. Um media center nada mais é do que um servidor de arquivos que fica conectado a uma TV e serve como "hub digital", centralizando o acesso a músicas, videos, filmes e até mesmo internet, downloads e alguns jogos mais leves, tudo isto no conforto da sala.

Uma solução interessante é simplesmente utilizar um nettop com placas adicionais para a recepção de sinal de TV por assinatura e um drive de DVD/Blu-ray, simplificando a sala em apenas a TV e o computador.

Como vocês podem perceber, um nettop tem como aliado o seu tamanho físico e seu baixo nível de ruído, o que torna uma ferramenta muito versátil, que vai desde a mesa do escritório a sala de estar.